A Realidade vista dentro dos bastidores dos Veículos Elétricos e Híbridos

Já não é novidade que os Veículos Elétricos (VE) e os Veículos Híbridos (VH), estão a gerar um futuro mais sustentável, limpo e eficiente. Os grandes fabricantes estão cada vez mais focados neste mercado que tem evoluído vertiginosamente. A Europa, EUA e a China, são responsáveis por 90% da produção mundial e são onde o ponto de viragem deverá acontecer primeiro.

Apesar de ser uma indústria exigente e rigorosa, sem grande margem para o erro, nunca os desafios para os laboratórios de validação automóvel foram tão elevados e exigentes.

O desenvolvimento de veículos é um processo muito complexo a diferentes níveis e que consiste em várias etapas, desde a determinação e avaliação dos mercados até o design de uma simples jante ou assento. Existe uma grande necessidade de gerir, e de alguma forma conectar, todas estas etapas de maneira lógica. Por exemplo, o sistema usado pela General Motors para fazer a interação entre esses níveis é a abordagem top-down. Esta abordagem começa no topo, com foco nos pedidos dos clientes e das sociedades sobre o veículo, e o próprio fabricante do veículo.

Avaliando estas etapas é inevitável concluir que a vida dos fabricantes de automóveis é extremamente exigente e com níveis de rigor elevados. No contexto atual, cada vez mais não há tempo para errar. Um passo em falso, ou um lançamento de um VE ou VH menos bem-sucedido pode ditar o futuro e a sua própria “brand equitity” nas novas tecnologias. Por estes motivos, a fase de validação dos EV e HV é essencial para o seu sucesso no mercado. No entanto, a nossa experiência na utilização destas tecnologias ainda é limitada quando comparada com a dos veículos a combustão.

O desconhecimento e a experiência na validação dos Veículos Elétricos e Híbridos

A fase de validação do veículo, depois de ser concebido de acordo com as necessidades e expectativas dos potenciais consumidores e dos próprios fabricantes, é uma das fases mais importantes e com maior relevância no produto final. Trata-se de um processo de seleção cuidadoso e subjetivo que é usado para avaliar e determinar os testes e ensaios que podem revelar as fraquezas mais graves e fornecer as informações mais interessantes sobre o desempenho do veículo. Os métodos de validação centram-se em quatro pilares: Segurança Ativa, Segurança Passiva, Conforto e a Funcionalidade.

No que diz respeito à Segurança Ativa e Passiva, pouco ou nada se alteraram as exigências de validação do   European New Car Assessment Programme – Euro NCAP.

Na grande maioria dos fabricantes e laboratórios de validação, os grandes desafios surgiram no Conforto e na Funcionalidade do veículo. A primeira nota vai para a ausência do ruido do motor. Tornaram-se mais silenciosos, os “ruídos parasitas” sobressaíram nos veículos o que obrigou os fabricantes a melhorar a qualidade dos componentes do interior do veículo. Por sua vez, os laboratórios de testes/ensaios de validação, desenvolveram novos métodos com maior precisão e eficácia na deteção dos ruídos parasitas.

Cada vez mais queremos veículos com mais espaço no interior, pelo que os fabricantes, em alguns casos, sacrificam o desenho exterior para conseguir uma amplitude adequada nos lugares dianteiros e traseiros. Esta amplitude permite aos ocupantes sentarem-se comodamente em cada um dos assentos sem sentir a sensação de inquietude. O que se perceciona é que o habitáculo do veículo, caminha para um lugar cada vez mais habitável e com as comodidades de que dispomos nas nossas casas. Incorporam-se assentos confortáveis e com sistemas de refrigeração, comandos de instrumentos mais ergonómicos para facilitar a sua utilização, entre outras comodidades.

Todas as alterações que pretendemos para os veículos do futuro, surgem também com a mudança do tipo de combustível. Isto justifica os elevados preços dos VE e VH, pois os fabricantes estão obrigados a melhorar os componentes, o que implica fortes investimentos nos testes, validações e ensaios dos próprios veículos.

Antecipando estas exigências o LABAUTO, tem vindo a investir em infraestruturas laboratoriais e recursos humanos qualificados, que permitam fornecer uma resposta adequada aos fabricantes da indústria automóvel face aos desafios que atualmente se colocam na validação, teste e ensaio dos VE e VH.

O IPAC – Instituto Português de Acreditação, reconheceu com a Acreditação ISO/IEC 17025 o LABAUTO, sediado em Monção, está especialmente vocacionado para ensaios da Indústria Automóvel, com gamas de ensaios especializados para as próximas gerações de veículos, mais inteligentes, autónomos e sustentáveis.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *